Anuncie aqui 1

Red Theater

Dançarás! Dançarás com teus sapatos vermelhos, até estares pálida e fria, até tua pele enrugar-se como a de um cadáver.

Por arisusagi em 08/02/2022 às 18:20:15

Red Theater é um mangá escrito por Ogawa Chise, publicado na revista onBlue da editora Shodensha em 2016, compilado em 6 capítulos. (Sei que a autora é bastante conhecida pelo BL Caste Heaven, mas como não o li, não sei dizer se há alguma semelhança entre essas duas obras.)

O protagonista de Red Theater é Yuli Albakin, um jovem que assume o cargo de designer de uma marca de sapatos de salto alto de luxo após a morte de sua mãe, decidido a fazer com que a marca da família se torne cada vez mais icônica no mundo da moda.

Cinco anos depois, Yuli faz sucesso pelos eventos de haute couture com sua bela aparência andrógina, calçando sempre modelos da marca Albakin confeccionados pelo seu gerente, Adam.

Longe dos holofotes e das lentes das câmeras, Yuli praticamente se prostitui para figuras importantes, como donos de lojas famosas e diretores de cinema, em troca de favores que atraiam a atenção para os sapatos de sua marca. Não é algo que ele faça por vontade própria, mas sim um sacrifício para que os sapatos desenhados por Adam tenham fama.

À primeira vista, Adam pode parecer frio e ganancioso, mas quando conhecemos seu passado, entendemos o que o tornou assim. Vindo de uma vila pobre em um país de terceiro mundo (provavelmente o Vietnã), Adam se mudou para Paris ainda jovem para conseguir dinheiro para sua família. Lá, ele conheceu os sapatos de salto alto e se encantou pela beleza deles, passando até a trabalhar na fábrica da Albakin, onde a mãe de Yuli o encontrou e o trouxe para perto dela. Yuliya, que era a designer da marca, passou a vender os sapatos desenhados por Adam como se fossem seus, além de transformá-lo em seu amante. Ele aceitou tudo isso não por gostar de Yuliya, mas simplesmente para ver seus sapatos sendo vendidos pela marca. Ele queria mostrar a beleza que descobriu ao mundo.

Quando Yuliya morre, Adam ameaça ir embora, mas Yuli, que já tinha interesse em Adam há algum tempo, decide tomar o lugar da mãe como designer da empresa e musa inspiradora para Adam, e se tornar a estrela que desfilará com os sapatos desenhados por ele.

Ao longo da história, vemos como a saúde mental de Yuli vai se degradando. Fazer sexo com desconhecidos não é algo que Yuli faz porque gosta, mas sim algo que faz só para continuar junto de Adam. No passar dos capítulos, Yuli começa a ficar cada vez mais instável psicologicamente, e a tomar mais medicação para dormir, o que leva ao conflito principal da obra.

Os dois personagens principais são muito interessantes porque são pessoas que fazem de tudo para ter o que querem: Adam, que deseja que seus sapatos sejam famosos a qualquer custo, e Yuli, que só quer ter Adam ao seu lado, e não se importa em ser usado se for para continuar assim. É uma dinâmica disfuncional e nada saudável, e foi isso que me chamou a atenção nesse mangá. Gosto bastante de personagens desequilibrados e imperfeitos, daquele tipo obsessivo e que não se importa nem de se machucar para conseguir o que quer. Quando os dois lados do casal são assim, a dinâmica e a química entre eles me parece ainda mais interessante.

E o que acho mais legal é que, mesmo com as circunstâncias dessa relação estranha que os dois têm, não dá pra negar que ambos se importam muito um com o outro, o que é muito bonito de se ver. Vemos que a piora do psicológico de Yuli deixa Adam preocupado, assim como o fato de os sapatos dele machucarem seus pés.

Outra coisa que acho incrível nesse mangá são os figurinos dos personagens, principalmente as roupas de Yuli e a combinação delas com os diferentes sapatos de salto. Yuli é um personagem muito bonito, e tenho a impressão de que Ogawa Chise aproveitou bastante para colocar várias roupinhas diferentes nesse bonequinho dela.

Red Theater é um dos mangás dos quais gostei tanto, que gostaria de ler outras obras parecidas, mas até agora não encontrei nenhuma que tivesse a mesma vibe. Ele tem a dose certa de angst, drama e desespero, mas também uma parte mais suave onde tudo acaba bem, e aquele tipo de casal em que os dois foram feitos um para o outro.

Recomendo bastante esse mangá para os fãs de drama e angst, principalmente para quem gosta daquele tipo de casal em que um é obcecado pelo outro, e não abre mão de um final feliz.

Fonte: Blyme Yaoi

Comunicar erro
Anuncie aqui 2

Comentários

Anuncie aqui 3